WEBRADIO-24.COM

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Heavatar - Opus II - The Annihilation (2018) Alemanha



Quando Stefan Schmidt (voz, guitarra) não está promovendo a banda de metal a capella Van Canto, ele está dirigindo seu projeto Heavatar. Schmidt e Heavatar ganham inspiração de compositores de música clássica para criar o seu melódico heavy power metal. Ou como Schmidt perguntou: "Como isso soaria, se Beethoven, Mozart, Chopin e amigos se juntarem a uma banda de metal?" Vamos descobrir com sua última criação Opus II - The Annihilation.
Ou talvez não. Nós só temos a palavra de Schmidt. Aparentemente, Puccini informa os acordes de None Shall Sleep. A pequena abertura do piano para Hijacked By Unicorns (o título da música excelente, por sinal) é de Chopin para criar uma mistura de heavy metal. Se houver uma referência reconhecível a um grande compositor clássico, ele vem com a faixa-título, The Annihilation, onde Heavatar rouba a abertura inconfundível da quinta sinfonia de Beethoven.
Então, Schmidt acrescenta que as ideias são de Mendelssohn, Boellmann e Vivaldi. Mas o que essas ideias musicais são e onde elas aparecem não são tão óbvias. Com músicas como A Broken Taboo, A Battle Against All Hope e o mais suave é An Awakening, os Heavatar adiciona uma camada sinfónica básica sintetizada para dar às músicas uma sensação "clássica". Com A Battle Against All Hope tu podes notar uma presença mais forte de "violino". Para a clássica sinfonia pura, há uma versão orquestral do A Look Inside como uma faixa bónus. Além disso, com o Metal Daze, os Heavatar fazem uma cover dessa grande composição clássica de Manowar. Mas todos disseram que o Opus II - The Annihilation dos Heavatar simplesmente soa como o tradicional heavy/power metal com um toque de nuances sinfónicas e clássicas. Não há nada de novo lá, mas soa bastante épico.



Nine O Nine - The Time is Now (2018) Portugal


Diz no Facebook:
NINE O NINE (abreviado como NON e numerado como 909) é uma banda de metal / rock portuguesa fundada em 2017 pelo guitarrista Tó Pica em Lisboa, Portugal. A banda é composta por quatro membros com uma extensa carreira e experiência na cena musical com outras bandas a nível nacional e internacional. Uma banda em progresso com o objetivo de quebrar fronteiras musicalmente, geograficamente e dar o compromisso com seus seguidores existentes - base de fãs.



Visions of Atlantis - The Deep & the Dark (2018) Austria



Com "The Deep & The Dark", Visions of Atlantis voltou a navegar para mitos oceânicos e o sonho eterno do continente afundado. A voz variada e fascinante de Clémentine Delauney proporciona duetos assustadoramente bonitos com as infusões clássicas de metal de Siegfried Samer, que incorporam o bolo de metal sinfónico.
A partir do grandioso título do álbum "The Deep & The Dark", elementos do folclore em "Ritual Night" para o colossal up-tempo "Return To Lemuria", "Visions Of Atlantis" completa todas as suas facetas nesta aventura mística. Mas este álbum não estaria completo sem uma balada enfeitiçada! "The Last Home" é uma das melhores canções inesquecíveis que estes austríacos já compuseram.
Diz a banda: "Este é o álbum que sempre sonhamos em fazer. É tudo que os fãs deste género gostam e Visions Of Atlantis foi fundado por isso. Este é o coração e a alma desta banda e metal sinfónico. Estamos orgulhosos e entusiasmados do que, depois de mais de quatro anos, colocamos as melhores dez faixas que a banda tem para oferecer. Isto é Visions Of Atlantis, isso é metal sinfónico! "
Fonte: Napalm Records



sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

POST DA SEMANA Royal Hunt - Cast In Stone (Japanese Edition) (2018) Dinamarca



"Cast In Stone" é o novo álbum de estúdio dos mestres do melódico metal progressivo dinamarquês ROYAL HUNT. O álbum será lançado em 21 de fevereiro via NorthPoint Productions, mas acabou de aparecer no Japão, publicado pela King Records com uma faixa bónus.
Com o seu 14º álbum de estúdio, a banda prova mais uma vez que a criatividade e ficando fiel a si mesmo podem trabalhar de mãos dadas e produzir resultados satisfatórios.
Eu sempre gostei dos Royal Hunt, no entanto, o seu último álbum de estúdio, embora seja bom, faltava alguma faísca da banda. Bem, "Cast In Stone" traz de volta os clássicos Royal Hunt.
Acima de tudo, o vocalista DC Cooper, depois de alguns problemas de saúde na voz, está novamente em força e tu podes ouvir de novo uma poderosa entrega do seu lado.
Musicalmente, o novo CD é uma espécie de "voltar às raízes", mas não uma imitação, de fato, um passo em frente para a banda. O novo CD cativa com arranjos sofisticados e variados, melodias cativantes claras e mudanças de tempo surpreendentes sempre baseadas ao serviço da música.
E há outra coisa importante no novo álbum: o projeto de som.
A gravação foi feita em fitas analógicas, bem como a mistura / masterização final, então não há "guerras de loudness" à vista; sem parede de som limitada, excesso de compressão, parede de som sem vida. O álbum respira como um verdadeiro álbum de rock.
O novo CD começa onde os álbuns mais famosos dos Royal Hunt ('Moving Target' ou 'Paradox') terminaram, mas também revela um novo lado da banda. Melódico e cativante como antes, ainda com uma ótima atmosfera e uma imaginação revitalizada tanto em letras como em musica.
O álbum cresce de faixa a faixa, do impressionante destaque da abertura "Fistful Of Misery" sobre o bombástico "The Wishing Well" até ao final épico "Save Me II".
Esta versão japonesa inclui como bónus uma faixa gravada ao vivo "Wasted Time" (bem gravado) e, ouvindo-o, tu podes ouvir a diferença com a gravação de estúdio "analógica" mencionada acima.
Quero dizer, nossos ouvidos estão acostumados a gravações digitais, e à primeira vista, "Cast In Stone" parece um pouco "estranho".
Para mim, este álbum é um currículo musical da carreira dos dinamarqueses com todas as características típicas que os tornaram famosos, um verdadeiro regresso à forma.



quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Denied - Freedom Of Speech (2018) Suécia



Chegou juntamente com o super-produtor Fredrik Folkare, que também fez a mistura e a masterização, os Denied estão prontos para apresentar o seu novo álbum Freedom Of Speech! O álbum consiste em tudo pelo que Denied é conhecido, sua diversidade em melodia com velocidade e peso. As músicas amadureceram durante um longo processo criativo que adicionou um som com uma forte personalidade e caráter.
Todas as 11 faixas, incluindo o tema bónus Stay Hungry, mostram a grande habilidade de Denied para riffs inesquecíveis e ganchos cativantes, sem perder a energia e a força que os fãs conhecem. Este é um sucessor digno do seu excelente álbum de estreia, Let Them Burn, lançado através de Sliptrick Records em 2013, então põe nas tuas mãos Freedom Of Speech e ouve. Tu não ficarás dececionado!
O álbum inclui a colaboração de Johan Fahlberg (Jaded Heart) e Chris Laney (Pretty Maids) e a capa foi criada novamente pelo colaborador e o mestre da ilustração Alexander Lifbom.



Animal Drive - Bite! (2018) Croácia



Animal Drive é uma jovem banda de hard rock fundada em Zagreb, Croácia em 2012 pelo vocalista Dino Jelusic, que é o principal compositor e a força motriz por trás do som da banda. Dino foi escolhido pelo falecido, o grande Paul O'Neill para ser um vocalista em destaque na turnê americana da Trans-Siberian Orchestra em 2016.
Os Animal Drive são complementados pelos guitarristas Ivan Keller e Alen Luke (que desencadeiam um feroz ataque de guitarra dupla ao ouvinte), Damjan Milekovic no baixo e Adrian Boric na bateria. Influenciados por bandas lendárias como Whitesnake e Skid Row com elementos de rock e progressivo metal dos Dream Theater colocados na mistura, os Animal Drive leva os ouvintes num passeio selvagem de hard rock.
Dino diz: "Estou muito satisfeito e animado para apresentar nosso álbum de estreia.
Fonte: Frontiers Records



ReVertigo - ReVertigo (2018) Suécia



REVERTIGO é uma dupla com base em Estocolmo, formada por Mats Levén (vocais) e Anders Wikström (guitarra). Como amigos pessoais e musicais próximos há quase 30 anos, REVERTIGO é o próximo capítulo em uma colaboração contínua que culmina com o novo álbum autoproduzido.
Em setembro de 2016, uma demonstração de 3 músicas encontrou caminho para a Frontiers Music Srl, que decidiu assinar a banda no local. Entre as atividades prioritárias de turnê com Candlemass, Treat e Trans-Siberian Orchestra, o par finalizou as 11 músicas apresentadas no álbum de estreia. A música de REVERTIGO em si é uma mistura de musicas pesadas, melódicas, homenageando álbuns e artistas favoritos dos anos 70, 80 e até hoje, sem esquecer a química que ganha vida quando Mats e Anders unem forças.

  

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

CoreLeoni - The Greatest Hits - Part 1 (Japanese Edition) (2018) Suiça



Para ser lançado via Frontiers Music em breve, "The Greatest Hits Part 1" é o CD de estréia de CORELEONI, o novo projeto do guitarrista principal dos GOTTHARD e membro fundador Leo Leoni. Seu objetivo é homenagear os dias clássicos dos Gotthard.
Nas próprias palavras de Leoni: "No 25º aniversário do lançamento do primeiro álbum GOTTHARD, queria homenagear músicas que, com os Gotthard, deixávamos de lado. Recuperamos, revigoramos e "rebuscamos" de uma maneira respeitável.
Essas músicas são muito queridas para mim e fazem parte de um período que permanecerá para sempre comigo".
A banda inclui Ronnie Romero (Lords Of Black, Rainbow) como vocalista, Hena Habegger na bateria, Jgor Gianola na guitarra e Mila Merker no baixo. O álbum, também, inclui uma nova música, "Walk On Water".
Todas as músicas mantiveram a "magia" dos Gotthard e isso é o que mais importa. "Firedance" (que é uma das músicas favoritas de todos os tempos), "Higher", o emocional "Let It Be", a incrível balada de "All I Care For" e o ritmo acelerado "Here Comes The Heat" são todos temas matadores, e na minha opinião, Ronnie Romero fez um trabalho fenomenal em relação aos vocais.
A nova música "Walk On Water" é enérgico, um rocker conduzido por guitarra com solos agitados, e esta edição japonesa inclui como faixa extra "All I Care For (versão acústica)", uma versão bem-vinda, depois de toda essa adrenalina .
Excelente musicalidade, emotivo e apaixonado pela voz de Romero, e, claro, muito boas músicas.
O espírito de Steve Lee (RIP) está completo "The Greatest Hits Part 1", e não digas a ninguém, mas Coreleone parece ser melhor do que os atuais Gotthard.



Marenna - Livin No Regrets (2018) Brasil



MARENNA a banda AOR / Melodic Rock liderada pelo compositor e vocalista brasileiro Rodrigo Marenna que nos agradou com a sua sólida estreia cheia de músicas no verdadeiro estilo tradicional do género. Agora, MARENNA está lançando "Livin 'No Regrets", um álbum gravado ao vivo, incluindo músicas do CD de estreia, e novas.
MARENNA como banda, ao vivo, parece muito mais ousada e orientada ao melódico hard rock. Há rockers em 'Keep On Dreaming', 'Reason to Live' e o mais groovy 'Can’t Let You Go'.
A versão ao vivo de 'About Love' ainda é cativante e ainda musculada, enquanto o hino 'No Regrets' é rock na onda dos anos 80.
'Never Surrender' é uma das melhores músicas dos Marenna, e esta ao vivo é uma das melhores também nesta gravação trazendo ao pensamento os Hardline.
"Fall in Love Again" acrescenta teclados bem-vindos para um som mais AOR, enquanto Marenna faz uma variação através do doce midtempo 'Come Back', com uma sensação de melódico rock do início dos anos 90.
Marenna toca o tipo de elegante melódico rock / AOR que todos adoramos. "Livin 'No Regrets" apresenta composições fortes, no entanto, ao vivo, essas músicas são mais cruas e ousadas.
Tu podes dizer que não há efeitos sonoros aqui, esta é uma gravação "direta", e encontrei algumas falhas em algumas musicas e mix.
De qualquer forma, isso é realmente um assunto agradável e intemporal.



segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Visigoth - Conqueror's Oath (2018) USA



Os VISIGOTH provenientes dos Estados Unidos da América, apresentando o Power / Heavy Metal, no seu segundo álbum intitulado "Conqueror's Oath" (lançado em 9 de fevereiro de 2018).
Desde a formação em 2010, O quinteto em questão tem um Demo, EP, um single e um álbum na sua discografia até agora. Apresentado agora o seu 2º disco com o título "Conqueror's Oath", tem 8 faixas e cerca de 42:21, o quarteto fornece um intrincado desenho de sólido power /heavy metal. O tema de abertura "Steel And Silver", VISIGOTH organiza arranjos eficazes de hinos melódicos - endurecido com instrumentais e musicalidade selvagemente sinistras. Jake Rogers na voz contribui com vocalizações ritmicamente ásperas e agudas que são executadas eficientemente.
Composto por Leeland Campana na guitarra principal, as orquestrações aqui são profusamente robustas, à medida que eles batem com a consistência concreta. " Warrior Queen " oferece uma competência de composição única, à medida que as melodias continuam a subir com os trovões, combinadas com uma fórmula primitiva que tem uma estética orgânica de martelar a criatividade. Jamison Palmer também na guitarra mostra a destreza complexa, como o single "Outlive Them All" proporciona uma estabilidade mais implacável e rapidez ágil. O poderoso baixista, Matt Brotherton, retrata eficientemente uma substância fluida de se bater, que coincide com o equilíbrio rítmico extremamente bom. "Hammerferged" demonstra uma habilidade elegante, composto de forma diligente com dinâmicas elegantes e invenções requintadas que tem como base uma piada esclarecedora.
Mike T. na bateria pulveriza com a sua força dominante, como em "Traitor's Gate", há um elemento progressivamente técnico. Batendo com implementações intensas e construção detalhada, que bate como um trovão. "Salt City" mudou de forma inesperada o ritmo que se manifestou com uma grandiosidade de Hard Rock cativante e rápido, mantendo o power numa taxa excitável. "Blades In The Night" destacou se com competências mais groovy, já que a produção de som mostra de forma proeminente um provável abastecimento de sanidade, como um estratagema que brinca na distância.
No geral, "Conqueror’s Oath" é o que eu esperava que este disco fosse e estou muito satisfeito com o resultado final - Os devotos do Power / Heavy Metal certamente devem ouvir este.

  

Therion - Beloved Antichrist (2018) Suécia



Quando o prodígio de apenas 15 anos Christofer Johnsson fundou os THERION como uma banda de death metal em 1987, mal poderia imaginar que exatamente 30 anos depois ele estaria dando os toques finais em um projeto que entrará para a história como o lançamento mais ambicioso de uma banda de metal sinfônico. Enquanto as "metal óperas" não são mais uma novidade, esse termo ganhará um novo significado em 26 de janeiro de 2018, quando as cortinas se abrirem para a obra-prima da vida de Christofer Johnsson: "Beloved Antichrist" é o título da sua espetacular criação, dividida em 3 CDs completos e é mais do que um álbum conceitual, é uma rock-ópera completa com vários capítulos, revelando uma história abrangente, inspirada em partes na obra "Um Breve Conto Sobre o Anticristo", de Vladimir Soloviov.
Com um incrível total de 29 papéis e personagens diferentes, e todos eles exigindo uma voz diferente, o THERION contratou não só um coral gigante, mas também 29 vocalistas para dar vida a essa história épica. Com colaboradores de longa data como Thomas Vikström, Lori Lewis e Chiara Malvestiti, os fãs poderão ver a vibração clássica do THERION, além de poder entrar num furacão mágico de vozes tanto conhecidas como novas.
Dividida em vários capítulos, a ópera tem um total de três horas e meia e a banda está trabalhando na possibilidade de levar a produção inteira para os palcos. E enquanto esse trabalho monumental toma forma nos palcos suecos, a banda anunciou uma turnê europeia gigantesca durante a qual vai apresentar algumas das suas novas obras-primas com um clima de concerto clássico. As aberturas ficarão por conta do IMPERIAL AGE (Rússia) e NULL POSITIV (Alemanha).
Não perca esse novo marco na história do metal sinfônico e testemunhe a representação dramática do apocalipse e todos bravos, sinistros e fascinantes personagens encarando o fim dos tempos. "O mundo do metal não seria o mesmo sem o THERION", publicou a Iron Fist Magazine (Inglaterra) em 2014, e uma coisa é certa: depois do lançamento de "Beloved Antichrist", o metal não será mais o mesmo.



DANNY VERAS - Under The Influence (2018) USA



O vocalista / guitarrista DANNY VERAS lançou o seu novo álbum "Under The Influence", onde trabalhou, entre outros, com Paul Sabu (que também produziu o álbum anterior de Veras) e artistas mais renomados.
Como o seu título deixa claro, "Under The Influence" é um álbum de covers de artistas que alimentam a carreira de Veras, arranjos e realização com um brilho polido de Melodic Rock.
Sabu toca a maioria das guitarras, sintetizadores, faz coros e produz, Dennis Churchill Dries (ex White Sister) toca o baixo e encontramos vários solos de guitarra de convidados.
Veras faz uma versão convincente do "Send Me An Angel" dos Scorpions, também entregue como bónus no final do disco na sua versão acústica com o virtuoso da guitarra acústica alemão "André Krengel". O guitarrista também toca em "Can not Find My Way Home" (House Of Lords classic) cheio de vozes doces.
Há um bom sucesso de Bon Jovi "Wanted Dead or Alive" (com Tommy Lafferty dos Crown Of Thorns / Voodoo X), em "Blinded" Veras soa muito como Steve Perry e o solo de Howie Simon (Jeff Scott Soto) as rocks, enquanto a surpreendentemente cover de "Happy Together" dos The Turtles é louca e melodiosa.
Eu também acho alguns temas insensatos, como "Ball of Confusion" (The Temptations, mas tornado famoso por Love And Rockets), ou The Dayles Tripper dos Beatles, que, ao favor de Veras, pelo menos ele fez uma bem diferente, uma versão de rock moderno.
Danny Veras mostra sua versatilidade em "Under The Influence", um conjunto variado de covers bastante convincentes na sua maior parte. Este musico é capaz de cantar muitos estilos, e seu timbre vocal melódico deve ser observado pelas principais bandas de Melodic Hard Rock à procura de um novo vocalista.



3Sixty - Truestories (2018) UK



3Sixty é uma banda de rock do Reino Unido baseada na parceria do vocalista Mark Grimmett e do guitarrista Nick Singleton. Mark e Nick começaram a tocar e a compor juntos na sua primeira banda Black Dog, aos 15 anos.
Em 1985, com 21 anos, eles formaram Crywolf, uma banda de melódico rock, principalmente notável por ter aparecido no programa de rock da BBC Radio 1 de Tommy Vance em 1988, tendo gravado uma sessão na BBC Maida Vale Studios e também para editar um autofinanciado EP 12" intitulado "The First Twelve Inches" no mesmo ano. Após o desaparecimento de Crywolf em 1990, o par seguiu seus caminhos separados. Nick se juntou aos rockers de Londres The Tattooed Love Boys e tocou no seu segundo álbum 'No Time For Nursery Rhymes, antes de formar The Firebyrds, e Mark passou a formar melódicos rockers Empire e Heavens Sake.



sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

POST DA SEMANA Voodoo Circle - Raised on Rock (2018) Alemanha



VOODOO CIRCLE lança o quinto álbum "Raised On Rock" dia 9 fevereiro, e será lançado em todo o mundo.
A banda encontrou Herbie Langhans um novo vocalista que teve um impacto refrescante e proporcionou a Beyrodt novas oportunidades quando se trata de composições.
Beyrodt é uma mente inquieta, sempre numa viagem pelo rock e pelo metal. Sua fome de heavy metal ficará satisfeita com os Primal Fear, onde ele lida com a guitarra de forma perfeita. Ao lado disso, faz parte do 'Rock meets Classic' e de alguns outros projetos.
E se isso não bastasse, Beyrodt também tem a sua própria banda, Voodoo Circle, uma banda de power que mostra a paixão do guitarrista pelo clássico hard rock ao estilo Rainbow, Whitesnake ...
Como esperado, as melodias estão focadas no novo álbum com 'Just Take My Heart', é um excelente começo no novo CD. A faixa muito baseada no ritmo contém tudo o que o Voodoo Circle representa - sentimento, uma vibração de clássico rock, dureza e melodias que tu não vais esquecer com facilidade.
Por isso, 'Just Take My Heart' representa um bom exemplo do que podes esperar do mais novo álbum dos Voodoo Circle.
"Higher Love" realça ainda mais o sentimento, antes de 'Running Away From Love' mostrar a paixão da banda por bandas como Whitesnake, um fato que se torna ainda mais óbvio com a balada 'Where is the World We Love'. É uma ótima música que teria sido um hit de rádio em 1987.
"Ultimate Sin" é o próximo na linha e não é um cover de Ozzy. É uma música uptempo hard rock com excelente trabalho de guitarra de Beyrodt e excelente voz de Langhans. Sua voz mais dura se adapta perfeitamente a essa melodia tímida é uma das melhores faixas do álbum.
No caso de estares procurando alguns momentos mais emotivos, deverias ouvir "Chase Me Away". É outra meia balada / midtempo, desta vez mais relacionada com Deep Purple de 1985, ou Rainbow de 1983, diria eu.
O ultimo tema do novo LP dos Voodoo Circle é intitulado 'Dreamchaser' e é um final matador. A música lembra o Rainbow sem usar o Blackmore and Co. como um modelo. É mais uma interpretação dos Voodoo Cricle de um som que revolucionou a música rock no final dos anos 70.



quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Angra - ØMNI (2018) Brasil


"ØMNI" é um álbum conceitual, um conjunto de histórias curtas de ficção científica que ocorrem em vários lugares no tempo, simultaneamente. A espinha dorsal da trama baseia-se na ideia de que, em 2046, um sistema de inteligência artificial irá mudar a percepção e cognição humana. É um sistema que permitirá a comunicação consciente entre seres humanos presentes e futuros. Personagens como viajantes do tempo, homens das cavernas, guerreiros, entre outros, ajudam a contar esta história.
O álbum conecta os conceitos de álbuns anteriores (“Holy Land”, “Rebirth”, “Temple of Shadows”) para um sistema principal, "ØMNI", que em latim significa "tudo". "ØMNI" fabrica uma interconectividade que lança luz em direção a uma verdade universal: tudo o que aconteceu, levou ao que a banda é hoje. "ØMNI" celebra e une toda a história de Angra a este momento exato e atual.
A fórmula e marca registrada de Angra, de estilo brasileiro misturado com música clássica e heavy metal, é reforçada por diferentes influências, como rock progressivo, thrash metal e música latina o que transforma o álbum em um compilado moderno e familiar. O humor e a dinâmica conjunta colocam um toque especial nas letras e, portanto, aumentam o profundo senso de imersão na história.



quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Joe Perry - Sweetzerland Manifesto (2018) USA


Sweetzerland Manifesto marca o sexto álbum solo de Joe Perry e é composto por 10 novas faixas. Todos foram escritos ou co-escritos por Joe (muitos com os vocalistas convidados de álbuns), exceto o cover de Eve Of Destruction com Joe nos vocais principais e Johnny Depp na bateria. O álbum apresenta aparições convidadas de uma longa lista de amigos de Joe, colegas e ícones de rock and roll. Os destaques incluem Aye, Aye, Aye, que Joe co-escreveu com o vocalista da faixa, Robin Zander, e três colaborações com David Johansen, que canta I Wanna Roll , Haberdasher Blues e I'm Going Crazy , além de muitos co-escritos com Terry Reid, cujos vocais principais se iluminam, I’ll Do Happiness (com Zak Starkey na bateria), Sick & Tired e Won’t Let Me Go .
Sweetzerland Manifesto foi gravado no Studio 1480 em Los Angeles e produzido por Joe Perry e Bruce Witkin, com Johnny Depp atuando como produtor executivo e ajuda adicional de Jack Douglas, que co-escreveu e co-produziu várias faixas. Foi projetado por Witkin e Tony Perry. O álbum foi misturado por Tony Perry com Ari Blitz servindo como assistente de engenheiro de mixagem no After Master em Los Angeles. No álbum, Joe também se junta com os filhos Tony e Roman no Spanish Sushi, que foi produzido e organizado por The Perry Boys com Joe nas guitarras e baixo, Roman, adicionando programação de sintetizadores e Tony manipulando programação de bateria.



PRAYER - Silent Soldiers (2018) Finlândia


Prayer está de volta! Foram cerca de 12 anos desde que nos apresentaram o álbum "Wrong Address", que realmente definiu o ritmo em 2005 e a banda ganhou um seguimento de culto. Em seguida, eles editaram um excelente álbum, "Danger In The Dark", em 2012 e ganharam mais fãs ao longo do caminho. Se não estás familiarizado com os Prayer, bem, eles tocam melodic rock / AOR e são de Oulu no norte da Finlândia. Eles foram criados por Tapani Tikkanen, que é a principal força por trás da banda. A carreira musical de Tapani começou no início da década de oitenta com IC-Rock e continuou depois com Tanna. Juntamente com essas bandas, ele fez centenas de shows em toda a Finlândia, mas depois de vários álbuns e mais de 20 mil discos vendidos, era hora de uma pausa. No entanto, ele continuou escrevendo músicas, como três álbuns para o clube de futebol mais louco do mundo, o FC Rainbow e um single solo intitulado "Everyone's A Winner". Tapani queria criar uma banda que trouxesse o seu coração de rock and roll. Após a gravação de algumas demonstrações, ele contatou seu amigo e mago do teclado Jari Huvila para falar sobre a formação da banda Prayer. Desde "Wrong Address", houve algumas mudanças deformação, a banda agora apresentou o distinto musico de teclado Mika Pohjola, bem como Tom Pohjola no baixo.
Prayer destaca se num emocionante melódico rock com um estilo que reúne o melhor de Thin Lizzy, Saga, Treat e às vezes um pouco de Royal Hunt. Sua música tem significado e esses músicos estão todos empenhados em tornar esta uma das bandas escandinavas mais faladas nos últimos anos. Qualquer um com uma inclinação para grandes vocais, dirigidos por guitarras e muitos teclados estão num verdadeiro deleite. Basta ouvir músicas como "Fires Of The Heart" e "Feel Like A Prisoner" para obter excelentes exemplos de seu trabalho. Este é um excelente álbum e certamente o melhor possível até a data. É como se todas as suas orações tivessem sido respondidas.
Fonte: Escape Music



Lechery - We Are Born All Evil (2018) Suécia



O veterano dos Arch Enemy, Martin Bengtsson, está de volta com um novo álbum dos Lechery cheio de clássico metal sueco.
Martin Bengtsson é mais conhecido como um antigo membro dos Arch Enemy (ele tocou baixo no segundo álbum "Stigmata" em 1998). Desde 2006, ele interpretou uma forma mais tradicional de heavy metal com sua atual banda Lechery, na qual ele é o vocalista e toca guitarra.
Lechery, que se estreou em 2008 com o álbum "Violator", está musicalmente bastante longe de Arch Enemy. Lechery vive mais perto do clássico heavy metal e do power metal. A Suécia o local de nascimento dos Lechery tem sido forte no tradicional heavy metal, voltando ao início até meados da década de 1980 com bandas como 220 Volt e Heavy Load. No entanto, Lechery não é uma banda de cópias. Eles tomaram essa base e construíram ainda mais, adicionando o seu próprio estilo à mistura e criando alguns hinos ao longo do caminho. Funciona muito bem.
"We Are All Born Evil" é o terceiro álbum da banda e segue o "In Fire" de 2011.
O álbum começa com o muito estilo HammerFall "Heavy Metal Invasion". Este é um álbum sólido construído sobre uma base do metal dos anos 80: grandes guitarras, músicas cativantes, coros e uma produção que resuma a década de 1980 (de uma boa maneira). Adoro. Os títulos das canções, como "Rule the World", "Breaker of Chains" e "Even A Hero Must Die" são muito importantes sobre o que se trata. Bom antigo heavy metal na tradição sueca.



terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Labyrinth - Return To Live (2018) Itália


Labÿrinth, os melhores fornecedores de power / prog metal da Itália, realizaram seu primeiro show de reunião no Frontiers Metal Festival em Trezzo Sull'Adda em 30 de outubro de 2016. A formação renovada tocou "Return To Heaven Neied" na sua totalidade, apenas pela segunda vez, seu disco mais popular (até agora). O álbum histórico foi originalmente lançado pela Metal Blade em 1998 e é considerado por muitos como um dos destaques do género power metal no final dos anos 90.
Olaf Thorsen diz:
"Foi uma verdadeira mistura de sentimentos para tocar 'Return To Heaven Denied' na sua totalidade, pois era algo que nunca fizemos antes, nem mesmo durante os muitos tours que fizemos em '98 -99! é ainda mais louco quando tu achas que este foi o nosso primeiro show ao vivo com a nossa nova formação, mas quando vimos tantas pessoas de diferentes países cantando cada música com a gente, sentimos que tudo valeu a pena. Inesquecível ".
Uma performance estrelar em vivo que é crucial para ouvir e assistir por todos os fãs da banda!
Fonte: frontiers.it

  

Secret Illusion - Awake Before the Dawn (2018) Grécia


Secret Illusion é uma banda de power metal da Grécia que se formou em meados de 2007 na cidade de Atenas. Em 2008, a primeiro demo da banda, chamado "Silent Voices", foi lançado. Em 2011, o primeiro álbum de estúdio "Illusion" foi lançado, recebendo excelentes comentários de todo o mundo. Provou ser um excelente começo para a banda! 2 EP surgiu em seguida, "Turn Back Time" e "Point Of No Return" em 2012. Em 2014, os Secret Illusion regrssou com um novo trabalho, intitulado "Change Of Time", o segundo álbum de estúdio. Em 2015, a banda lançou um novo single digital, chamado "Winds Of Tomorrow", com Evmenios Poulias por trás dos teclados e o inacreditável Vasilis Axiotis como vocalista. Depois disso, os dois principais compositores, Filippos e Evmenios, entraram no seu estúdio pessoal para criar o novo álbum da banda.
Fonte: lionmusic.com